Translate

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Cada um na sua casa














Cada um na sua casa ou Home (2015) é uma animação muito bacana, divertida, representativa, uma história  cheia de lições. Um filmão. Bem, eu adorei né! Não é uma história apenas para crianças, o adultos vão gostar muito de ver também.  É para toda família e agregados verem juntos, de preferência.

Para começar,  a personagem principal é uma jovem adolescente estrangeira, negra,  de olhos verdes e de cabelos cacheados, que mudou recentemente de país e está se acostumando a viver em outro lugar. Ela conhece um  alienigena bem desastradinho, famoso por arrumar confusões em sua terra, tanto que foi banido. Entre diferenças e estranhezas nasce uma amizade.

Ele aprende com ela como é ser humano. A experiência leva  os dois a se conhecerem melhor  e a perdoarem seus erros, se aceitarem, se amarem, criando um laço profundo. O filme fala de maneira leve, sutíl e engraçada sobre as relações humanas. Aquelas que estabelecemos com os outros, os amigos e a nossa família. Fala de amor, a gente chora sim, mas ri bastante também.

 O filme ainda é contextual quando fala do preconceito sofrido pela garota na escola, da sua forma corajosa de enfrentar as coisas na vida e do seu amor por sua mãe, que também é diferente, branca e de cabelos lisos. Por isso, Home é um filme representativo, que inclui, que mostra uma auto-imagem positiva do miscigenado e do negro. 

A personagem é uma garota forte, que luta pela sua felicidade, é uma heroína negra.  A animação também fala sobre a intolerância aos outros, aos erros, ao diferente, e à tudo aquilo que não conhecemos realmente. Tipo “Não li e não gostei! 

Quando há uma abertura maior, uma compreensão mais ampla, as coisas acontecem. O filme traz uma mensagem muita bonita de como podemos  superar e até curtir as diferenças. E de como o amor  e a coragem são fundamentais  para vencermos  os obstáculos.

Fica a dica! Em cartaz nos bons cinemas da cidade! Recomendo demais!




domingo, 19 de abril de 2015

Um pouco de Dublin - lugares e cultura




Este breve documentário abaixo é muito legal porque mostra os pontos principais de Dublin - lugares para explorar, um pouco da cultura, da música e do clima da cidade. Assisti-lo é relembrar de tudo! E quando dá saudades, ele ajuda a matar. Feito por brasileiros, falado em português, o vídeo é ótimo para quem quer conhecer um pouco mais desta mágica cidade.

Confira:





segunda-feira, 13 de abril de 2015

Mais sobre No poo/ Low poo




O No poo é indicado para quem tem o cabelo mais ressecado e o Low poo para quem faz atívidades físicas semanais, academia, corrida ou trabalha em lugares onde existe mais poluição do ar. Mas é possível usar os dois, de acordo com a necessidade. Eu, por exemplo, lavo o cabelo 2 vezes por semana com condicionador  e uso shampoo sem sulfado de 15 em 15 dias. Isto depende da minha rotina ou da minha atividade física, da temperatura, se está muito calor ou não e etc.

Por que o condicionador usado para lavar o cabelo não deve conter silicones, petrolatos e óleo mineral? Segundo a autora do livro Curly Girl, a cabeleireira inglesa Lorraine Massey, estes ingredientes grudam no cabelo e não o tratam. Eles são apenas maquiagem para o cabelo parecer mais brilhoso e saudável. Na verdade, eles impedem que outros produtos hidratantes penetrem no seu cabelo porque formam uma capa em volta dele. Estes ingredientes proibidos não tem poder de tratar o seu cabelo e acabam atrapalhando os tratamentos de hidratação.

Eu tenho lido todas as matérias sobre No poo que saem na mídia. Na maioria delas, os dermatologistas falam que a quantidade de shampo deve ser realmente pequena e que ele deve ser diluído em água porque é um detergente muito forte. Todos afirmam que, no caso dos cabelos crespos e encaracolados, que são mais finos e secos, o shampoo realmente fragiliza o fio. Eles não chegam a dizer que o sulfato é ruim para o cabelo, mas que ele não é muito adequado para os cabelos finos e ressecados.

A verdade é que a indústria cosmética nunca se preocupou em fazer produtos adequados para os nossos cabelos miscigenados. Sempre fizeram tudo  tendo como padrão o cabelo liso. Agora depois do sucesso do No poo e Low poo, eles estão aderindo ao shampoo sem sulfato e lançando novas fórmulas exclusivas para cabelos encaracolados. Já era hora né!

 Na semana que vem, eu falarei sobre produtos! Acompanhe!


segunda-feira, 6 de abril de 2015

"A riqueza nas mãos de poucos e o pobre é que é o bandido"



A proposta de diminuir a maioridade penal no Brasil é uma questão polêmica e muito mal discutida. É mais uma forma de saber quem pensa que fazer justiça é condenar jovens a ingressar cada vez mais cedo na vida do crime ou quem se ilude que a violência vai diminuir pela simples criminalização de jovens a partir de 16 anos. E os jovens de 15, 14, 13 anos... ou menos? Eles serão cada vez mais recrutados. A proposta é um tanto injusta quanto inconsequente e sem efeito nenhum para combater a criminalidade. Na verdade, o que ela pode trazer de fato é mais violência social porque os verdadeiros criminosos vão continuar livres e no poder.

Este Brasil que quer condenar jovens pobres à uma vida sem oportunidades, cada vez mais cedo, é o mesmo que tem uma quadrilha de políticos corruptos, demagogos, hipócritas, preconceituosos  e violentos dirigindo  o Congresso Nacional,  infelizmente.  A verdade é que, os maiores criminosos do país estão em Brasília, nas Assembléias Legislativas, nas Câmara de Vereadores e nos Governos dos Estados e Municípios, roubando diariamente milhões de brasileiros.  Muitos estão roubando o dinheiro da merenda das escolas, que alimenta famílias que não tem emprego e renda e que estão em situação de risco de morrer de fome, de bala perdida, de bala de revólver da Polícia Mílitar, num morro, numa vila, numa rua qualquer e em qualquer cidade deste país.

Este dinheiro roubado é nosso, sai do nosso bolso! Ele construiria mais escolas, com infraestrutura adequada, pagaria melhores salários aos professores, construiria mais hospitais, postos de saúde e pagaria bons salários aos médicos. Construiria mais estradas, melhores vias, viadutos que não caem, melhoraria o trânsito e implantaria um metrô decente. Também pagaria melhor os policiais militares e todo o funcionalismo público. Haveria mais saneamento básico, mais qualidade de vida, mais empregos  e mais segurança. Isso tudo seria possível se todo esse dinheiro não fosse roubado na nossa cara!

Mas quem pensa que é uma “pessoa de bem” e acha melhor exterminar toda uma juventude pelo simples fato de ela existir, de possuir meios de sobreviver, seja pelo jeitinho brasileiro,”de se virar com criatividade” ou pela via do crime, pela total ausência do Estado, saiba que esta é uma atitude tão violenta, sanguinária e vingativa quanto as que motivam um criminoso a matar.

É preciso entender que uma pena não é apenas um castigo impingido a quem erra. Ela deveria ser uma forma de punicão regenerativa. Porque todos somos humanos. E o que são os presídios hoje no Brasil? Máquina de triturar gente! Ali não sobra nada de humanidade!

E a violência que vem dessa sociedade composta por uma elite que rouba todos os dias para manter seus luxos e privílegios. Que explorou milhares de escravos negros durante mais de 400 anos. Que deveria ter incluido toda essa gente após a abolição, que deveria ter dado dignidade, trabalho, moradia, tratado como cidadão, como ser humano. Mas não! Eles escolheram a exclusão que gera violência. A segregação racial e social que desumaniza, aterroriza e mata dos dois lados.

O  único remédio para diminuir a violência no Brasil, a que vem das classes mais baixas, que é a mais exposta e sofrida, pela injustiça social que impera neste país, só pode ser a inclusão social. A radicalização da democracia precisa sair definitivamente do discurso porque o povo está cansado! Ninguém aguenta mais tanta corrupção, tanto desvio de verba, de milhões em contas na Suiça, tantos viadutos caindo, tanta gente morrendo inocente todos os dias. O país há muito tempo vive uma guerra. Estamos entre o países em que mais se mata no mundo, segundo a Anistia Internacional. Banalizamos a violência? A violência contra os pobres e negros sim!

A saída só pode ser lutar por um país mais democrático, mais livre de fato, mais independente da influência do poder financeiro e da corrupção institucionalizada. E para isso é preciso que o povo esteja desperto. Que entenda que os maiores criminosos do país estão no poder e a eles interessa manter o foco na violência que vem dos jovens pobres, dos aliciados pelos grandes e verdadeiros bandidos. Porque eles são a parte mais vulnerável, mais sem recursos, com mais fome e sem nenhum poder.

É preciso dizer não a maioridade penal! Ela já foi rejeitada em outros países na Europa. E, aqui, onde a vida de quem é cidadão comum não vale nada, a guerra só vai aumentar. E os cadavéres serão cada vez mais de jovens negros e pobres. Aqui, para quem não é rico e poderoso ou político para ter foro privilegiado,  não existe  justiça. Não há segurança, nem um sistema prisional de recuperação penal  para menor e nem para maior. Há apenas o inferno, que vai formar bandidos cada vez mais violentos, revoltados e sem nenhuma dó. Haverão mais mortes por todos os lados.

Se há alguma esperança é de que o povo se torne mais consciente e saiba entender e compreender  as raízes da violência. Que sejamos mais humanos, mais sensíveis. E que a desigualdade social  seja tratada com reformas,  com profundas políticas sociais, e não como caso de polícia. Que o povo saiba votar melhor e escolher gente realmente mais comprometida com os interesses de todos. Senão nós vamos chorar muito mais do que já choramos hoje pelas tragédias de todos os dias. Pela insegurança, pela falta de qualidade de vida e pela falta de vida. Porque estamos perdendo ou já perdemos o direito de ir e vir, de circular com tranquilade, de ser livre.

O medo e a covardia estão  alimentando uma guerra e nos encarcerando numa bolha de ilusão. O medo de enfrentarmos os nossos reais problemas. A covardia de impingir a culpa somente aos mais fracos, vítimas de um sistema que exclui e mata todos os dias. Não vamos dormir tranquilos enquanto não houver mais justiça social neste país.


quarta-feira, 1 de abril de 2015

Penteados e Maquiagem para Mulheres do Estilo Criativo



As mulheres do estilo criativo são ousadas. E os seus penteados e produções refletem isso. Elas sempre estão usando algum penteado diferente ou um acessório na cabeça.  Tudo é colorido, bem humorado e chama a atenção. Cabelo é uma forma de expressão! Criatividade sem limites é o seu lema!  Ela adora lenços coloridos, turbantes de todos os formatos, estampas e cores, bonés, óculos, chapéu, perucas coloridas, carequinha com maquiagem vibrante, pode tudo! Enfim ser alegre e criativa é com ela mesma. Ela sabe como ninguém adicionar vários estilos, cores e estampas e fazer o visual ficar super bacana para ir a todos os lugares!


A sua maquiagem é original, experimental, colorida ou nada. Normalmente é usada para causar impacto. Os olhos podem receber cores vivas ou nenhuma cor, as sobrancelhas podem ser bem grossas ou finas. Elas adoram rímel colorido. A bochecha pode não ter cor, ou pode variar entre cores vivas e exageradas, como vermelho, fúcsia e violeta. O batom segue a mesma regra, sem cor ou cores intensas.






Tranças coloridas, dreads, cores





Acessórios coloridos cheios de efeito


Cores fortes, volume e personalidade






Por enquanto é isso! Criatividade na cabeça!
Beijos,
Até semana que vem!